Mau hálito com cheiro de fezes? Sim, é possível. Conheça os diferentes tipos de halitose

mau hálito com cheiro de fezesA halitose é um universo de várias possibilidades. Já falei aqui que existem mais de 50 causas para o mau hálito. Hoje eu quero trazer, com um pouco mais de detalhe, o que é esse problema e, para isso, precisamos falar dos tipos de halitose, inclusive aqueles que se assemelham ao cheiro de fezes. 

Digo no plural porque a causa desse tipo de odor pode variar. Primeiro, precisamos entender que a halitose pode ser clínica – ou seja, quando outras pessoas conseguem sentir o mau cheiro, mas a própria pessoa não, por causa da fadiga olfatória – e a subclínica, ou pseudo-halitose, que ocorre quando somente a pessoa sente o mau cheiro na própria boca por motivos emocionais ou alguma alteração olfativa.

O cheiro de fezes pode ocorrer em ambos os casos. Quando se trata de uma falsa halitose, é comum a pessoa se queixar de um cheiro de carniça, sangue quente ou algo parecido. Nesses casos, nós fazemos o diagnóstico e o tratamento é feito de maneira multidisciplinar, principalmente com psicoterapia.

Causa mais comum está na boca

Em 95% dos casos de halitose, o problema tem origem na boca, como doenças gengivais. A periodontite pode gerar um odor semelhante ao cheiro de fezes por causa de componentes sulfatados produzidos pelas bactérias. 

O cheiro de cocô também pode indicar a necessidade de uma investigação de transtorno gastrointestinal, como doenças no esôfago ou refluxo. Doenças no fígado podem provocar mau hálito também, só que o odor é mais característico de acetona. 

Pessoas com diabetes mal controlada têm tendência a halitose, mas, nesses casos, não se assemelham a fezes, e sim a um cheiro de vinagre ou urina devido ao acúmulo de ureia no sangue. Há, ainda, alterações no hálito causadas por problemas respiratórios, como amigdalite e sinusite. Mais raramente vêm de problemas pulmonares graves, como enfisema. 

Hábitos interferem no hálito

Todos nós temos bafo quando acordamos de manhã. Ele ocorre devido ao tempo prolongado em jejum e a diminuição de produção de saliva durante o sono. Dietas muito restritivas podem levar ao mesmo efeito, assim como a pouca ingestão de água e alimentação de algumas comidas fortes, como alho e cebola. 

Essas causas são muito fáceis de resolver: uso do fio dental, eliminação da saburra lingual e uma boa escovação. E, é claro, não têm nada a ver com o cheiro de fezes.

Importante que você saiba o seguinte: se você está sentindo um odor muito fora do usual, ou que se assemelha a algo podre, procure ajuda. Você não merece conviver com um problema para o qual existe tratamento. A solução que vai mudar a sua vida. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *